-BLOG NÃO OFICIAL-

domingo, 14 de agosto de 2011

Ebenezer II - Lição 8

LIÇÃO 8 – COMO LIDAR COM AS RIQUEZAS

Ø  TEXTO BÍBLICO: Mt 6.19-25, 31-34: nosso tesouro; dois senhores; inquietude; prioridade.

Ø  ENFOQUE BÍBLICO: Mt 6.20: nosso tesouro.

O Sermão do Monte é um resumo doutrinário que trata de todas as áreas da vida humana, inclusive a financeira.

Servir à riqueza é dar-lhe um valor tão alto que:

a)      Colocamos nela nossa confiança e fé;

b)      Esperamos que ela nos dê segurança máxima e felicidade máxima;

c)      Confiamos que ela garantirá o nosso futuro (queremos dizer com isso um bom futuro);

d)      Buscamos mais do que o Reino de Deus e sua justiça;

e)      Não pensamos na eternidade, só na terra.

Os bens eternos devem ser mais valorizados do que os materiais, pois no céu receberemos a recompensa por um acúmulo de bens espirituais aqui na terra, e nenhuma recompensa pelo acúmulo de bens materiais. Portanto, precisamos administrar corretamente os recursos que Deus colocou à nossa disposição, a fim de nos tornarmos prósperos SEM prejuízos para a vida espiritual.

Infelizmente, mesmo na igreja, temos pessoas mais comprometidas com o dinheiro do que com Deus. Seu comprometimento com o dinheiro é muito superior ao seu comprometimento com Deus (quando têm algum comprometimento com o Senhor) e com os assuntos e valores espirituais. Gastam seu tempo e energia, sua vida tentando armazenar riquezas. Esquecem-se do que diz 1 TIMÓTEO 6.9 E 10.

Quer saber se você é uma dessas pessoas? Pergunte a si mesmo quem ou o que ocupa mais seus pensamentos, seu tempo e seus esforços: Deus ou o dinheiro.

Gn 13.1-13; 19.26 = o perigo da ganância.

Se os olhos de uma pessoa estão voltados para a eternidade na glória, por que ela faria questão de acumular bens nesta terra?

Lembremos que Paulo sofreu pobreza, justamente porque escolheu o céu. Se ele tivesse escolhido as riquezas terrenas, teria perdido as celestiais.

Abraão, como foi fiel a Deus quando de sua separação de Ló, foi abençoado pelo Senhor com bens materiais. Isso não quer dizer que se obedecermos a Deus Ele nos enriquecerá, e nem que devemos servi-lo com esse objetivo. Nosso objetivo deve ser o céu, e isto o Senhor nos dará se formos fieis. E se nossa prioridade for o Reino de Deus e sua justiça, Ele cuidará de nós. Habacuque também adorava a Deus pelo que Ele é, e não pelo que Ele dá – Hc 3.17-19. Habacuque servia a Deus não por causa das suas dádivas, mas porque o Senhor é Deus, porque Deus é Senhor. E nós devemos fazer o mesmo.

MATEUS 6.22 e 23: se os nossos olhos estiverem nas riquezas desta terra, nosso coração estará cheio delas, e vazio de Deus.

O PERIGO DE PERDER A SALVAÇÃO POR AMAR AS RIQUEZAS É REAL:

Ø  Lc 12.13-21: A parábola do rico insensato – ênfase nos versículos 15 e 20 e 21;

Ø  Mc 4.14, 18 e 19: A parábola do semeador – ênfase no versículo 19;

Ø  Mc 10.17-24: O jovem rico ­– ênfase nos versículos 22 (o jovem ficou contrariado e triste) e 24;

Ø  At 5.1-10: Ananias e Safira – ênfase no versículo 4: a ganância nasce no coração; devemos guardar o nosso dela.

Não é pecado ser rico; é pecado amar a riqueza e oprimir os pobres:

Ø  1 Tm 6.17-19;

Ø  Tg 5.1-6;

Ø  Cl 4.1;

Ø  Ef 6.9

Ser rico não é pecado; pecado adquirir riquezas desonestamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário