-BLOG NÃO OFICIAL-

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Ebenezer II - Lição 3

O RELACIONAMENTO COM O PRÓXIMO

TEXTO BÍBLICO: Mt 5.21-26: RECONCILIAÇÃO ANTES DE OFERTAR.

ENFOQUE BÍBLICO: 1 Jo 4.20: QUEM NÃO AMA A SEU IRMÃO, NÃO AMA A DEUS.

ALGUMAS DEFINIÇÕES:

  • Desprezar: tratar com desprezo; desconsiderar, desrespeitar; não dar importância a; desatender; não levar em conta.

  • Desatender: não dar atenção a, não levar em consideração; desconsiderar, ignorar; não respeitar.

  • Menosprezar: diminuir o valor, a qualidade, a virtude de (alguém, algo ou de si mesmo); depreciar; não dar importância a; desprezar, desdenhar.

  • Desdenhar: considerar ou tratar (alguém ou algo) com desprezo ou desamor; desprezar; recusar ou repudiar (algo, alguém ou a si mesmo); rebaixar, dedignar; fazer troça (o que é dito ou feito com intenção de provocar riso ou hilariedade acerca de alguém ou algo; caçoada, mofa, zombaria, ou seja, ridicularizar) de (alguém ou algo); escarnecer.

Pilares para um bom relacionamento com o próximo:

*      Gl 6.9 e 10: faça o bem a todos.
*      Rm 2.1: não julgue de maneira hipócrita a ninguém, condenando-o por fazer a mesma coisa errada que você faz (Mt 7.1-5; Mt 5.20).
*      Tg 4.11: não fale mal do próximo; quando souber que uma pessoa fez algo errado, não difame essa pessoa, não fale dela sem conhecer os detalhes, não saia falando sem ter conversado com a própria pessoa que está sendo acusada.
Difamar: desacreditar publicamente; fazer perder ou perder a boa fama ou a reputação; falar mal; detrair; afirmar e divulgar fatos que ofendem a reputação de (alguém); desvalorizar o mérito, a importância de; aviltar, depreciar; dizer mal; murmurar, maldizer.
*      Ef 4.31 e 32: tire o mal de perto de você, inclusive a amargura e a falta de misericórdia e perdão; devemos perdoar, como (da mesma maneira que) Deus nos perdoou em Cristo; logo, esse perdão deve ser imediato, pois Deus não foi nos perdoando aos poucos, antes, Ele nos perdoou de uma só vez e pronto – Rm 5.1 e 2.
*      Tg 5.9 (RC e NTLH): não se queixem uns dos outros [para não serem julgados – condenados – por Deus]; desfrute do seu relacionamento com o irmão na fé.
*      Pv 26.18 e 19 (RC e NTLH): não engane o próximo; enganar o próximo é como brincar com uma arma mortal.
Relações rompidas podem dificultar nosso relacionamento com Deus.
Aqueles que dizem amar a Deus e odeiam os outros são hipócritas.
A Bíblia diz que devemos reparar todas as ofensas que praticamos contra nosso próximo. A reparação das ofensas impõe-se pelas seguintes razões:
a)      A ofensa não reparada é o ponto de partida para uma série de outras situações prejudiciais aos envolvidos, entre elas as chamadas doenças psicossomáticas, que muitas vezes têm origem em mágoas não resolvidas – Hb 12.15 e 15.
b)      A ofensa é também a causa de ressentimentos que amargam o espírito, destroem o prazer do companheirismo e resultam em atitudes rancorosas contra o próximo.
c)       Se a ofensa não for reparada na origem, poderá causar a perda da espiritualidade.
Em outras palavrar:
Quando não reparamos a ofensa que fizemos a um parente, amigo ou irmão, abrimos uma brecha para uma série de outras situações prejudiciais aos envolvidos, como amargar ressentimentos que adoecem o espírito, a alma e o corpo, destroem o prazer do companheirismo e resultam em atitudes rancorosas contra o próximo. As consequências disso são desastrosas, algumas previsíveis e outras imprevisíveis; uma delas é a perda da espiritualidade.
Se meu irmão está ofendido comigo, devo reconciliar-me com ele. Note que o texto bíblico não diz “se eu estou ofendido”, mas se meu irmão está ofendido (Mt 5.23).
Na visão do Mestre, tirar a vida de alguém não é tudo. É possível matar alguém psicologicamente, através de agressão verbal, injúrias (dito ou ato insultuoso, ofensivo), difamações, ódio, ira, rancor, maus tratos e atos e posturas que humilham.
Se tivermos uma mágoa ou uma queixa contra um irmão, amigo ou parente, devemos solucionar o problema o mais rápido possível. Intrigas, ofensas e desentendimentos devem ser resolvidos o mais rápido possível, antes que alcancem proporções trágicas e cheguem a um ponto sem volta. A reconciliação jamais deve ser adiada, se queremos ter uma melhor qualidade de vida – Ef 4.26.
É imprescindível restaurar os relacionamentos antes que seja tarde demais e se chegue a situações irreversíveis.
A proposta de Jesus é evitar chegarmos à situação em que não há mais volta:
*      Mt 5.25 RC: “enquanto estás no caminho”.
*      Mt 5.25 NTLH: “enquanto ainda é tempo”.
*      Mt 5.24 NTLH: “vá logo fazer as pazes com o seu irmão”.
Deus leva tão a sério os relacionamentos humanos que ensinou, inclusive, como restaurá-los. Ele deseja que vivamos em paz uns com os outros – Rm 12.18; Hb 12.14 e 15.
Desenvolver uma convivência sem ressentimentos ou raiz de amargura é tão importante para a vida cristã que o Senhor diz que antes de entregarmos nossas ofertas no altar, devemos primeiro buscar a reconciliação com o ofendido – Mt 5. 23 e 24. Nossas ofertas não serão aceitas se não tomarmos a iniciativa de reparar a nossa falta.
Isso não quer dizer que se alguém me ofendeu eu devo ficar remoendo a mágoa esperando que ele venha até mim. Devo buscar a reconciliação! Até porque, muitas vezes, a pessoa nem sabe que me ofendeu.
As ofertas são nossos louvores, o nosso culto racional, e o altar é a presença de Deus. Se queremos ser sinceros com Deus, não nos aquietaremos enquanto não buscarmos fazer as pazes com a pessoa a quem ferimos. Vivem sem ressentimentos com o próximo é uma das condições para que a nossa oferta seja aceita no altar de Deus.
CONCLUSÃO
O modo de tratar o próximo é o ponto de partida para demonstrarmos que realmente somos crentes e estamos vivendo de acordo com o Evangelho: Jo 13.35.

Nenhum comentário:

Postar um comentário