-BLOG NÃO OFICIAL-

quarta-feira, 28 de julho de 2010

A blasfêmia contra o Espírito Santo

Mateus 12.31 é o texto que nos fala sobre a blasfêmia contra o Espírito Santo.

A blasfêmia contra o Espírito Santo é a REJEIÇÃO CONSCIENTE, CONTÍNUA E DELIBERADA (PROPOSITAL) do testemunho que o Espírito Santo dá de Cristo, da Sua Palavra e da Sua obra de convencer o homem do pecado (Jo 16.7 e 8). Em outras palavras, é a resistência ao Espírito Santo e a contínua recusa em cumprir a vontade de Deus.

Resistir ao Espírito Santo consiste em recusar, de forma consciente, a vontade divina transmitida pelo Espírito Santo mediante a Palavra de Deus e por meio de Seu trabalho em nossos corações.

Aquele que rejeita a voz do Espírito e se opõe a ela afasta de si mesmo o ÚNICO recurso que pode levá-lo ao arrependimento e ao perdão - o Espírito Santo.

Vejamos os passos que levam à blasfêmia contra o Espírito Santo:

* Entristecer o Espírito - Ef 4.30. Se esse ato for contínuo, levará à resistência ao Espírito. Assim como Jesus se entristeceu, o mesmo ocorre com o Espírito Santo, pois Jesus Cristo é Deus da mesma forma que o Espírito Santo é Deus.

O crente causa tristeza ou pesar ao Espírito Santo quando não dá importância à Sua presença, à Sua direção, à Sua voz.

O Espírito Santo também se entristece quando desprezamos a vontade divina e preferimos nossos desejos e ambições, quando não reverenciamos a Sua presença e a Sua voz e quando não buscamos a Sua direção.

Mathew Henry nos ensina que toda conversação maligna e corrupta, que estimule os desejos pecaminosos e a luxúria, contrista o Espírito Santo.

* Extinguir (apagar dentro da própria pessoa) o Espírito - 1 Ts 5.19. O termo traduzido por "extinguir" tem o sentido de apagar aos poucos uma chama, uma fogo que arde. Portanto, extinguir o Espírito é agir de modo a impedir, suprimir ou limitar a manifestação do Espírito do Senhor.

* Endurecer o coração - Hb 3.7-13. O endurecimento do coração leva a uma mente infame e depravada, a ponto de chamar o bem de mal e o mal de bem, ou seja, leva à cauterização da mente (ela fica insensível ao pecado) e à total cegueira espiritual e moral (Rm 1.28; Is 5.20; 2 Tm 3.8). O Espírito Santo fala conosco a respeito do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.7 e 8). Se formos indiferentes à Sua voz, nossos corações se tornarão cada vez mais duros e rebeldes, a ponto de se tornarem insensíveis à Palavra de Deus e aos apelos do Espírito de Deus. A verdade e o viver em retidão já não serão prioridades. Cada vez mais buscaremos prazer nos caminhos do mundo e não nos caminhos de Deus.

Concluímos dizendo que a blasfêmia contra o Espírito Santo é IMPERDOÁVEL porque, sendo Ele quem nos convence do pecado, da justiça e do juízo e quem intercede por nós, como operará tal obra em nossas vidas se Ele for intencionalmente rejeitado? (Jo 6.7-11; Rm 8.26 e 27).

Nenhum comentário:

Postar um comentário